terça-feira, 23 de setembro de 2008

Sonho lúcido máximo

Sonho Lúcido Máximo. "Estou saindo do quarto, indo para a cozinha. Encontro no meu bolso direito da calça uma caneta. Na cozinha, estão a minha mãe e a minha irmã. Depois da primeira caneta, saiu outra caneta azul esferográfica. Saíram outra e outra. Fiquei maravilhado com aquilo. Resolvi mostrar para elas as várias canetas que tinham saído e continuavam a sair do meu bolso. Daí, intuitivamente e instantaneamente, compreendi que era um sonho; também tive a intenção de não pensar muito nisso, não me afobar, não me excitar, para não perder a lucidez ou acordar de vez. Fiquei assim alguns segundos e estava quase acordando, ou ainda, o sonho passou por uma fase em que eu estava na cama. Não me excitei para continuar o sonho. Estava calmo e sereno. Comecei a fazer movimentos diferentes e acabei caindo suavemente no chão em cima de umas cobertas, o que me convenceu ainda mais do caráter onírico da experiência. Decidi não interferir em nada, ser um observador passivo. Novamente me movimentava afastando da cama. Vi várias pessoas e particularmente três jovens em idade militar, mas essas pessoas parece que não me viam. Os meus movimentos corporais estavam muito parecido com o de um bebe e, tenho a clara consciência disso. Agora eu estou em uma espécie de corredor, já com todos os pensamentos, consciente de que era um sonho lúcido. Ouvia mentalmente ditos populares do tipo "a palavra vale prata, o silencio vale ouro". Nesse corredor eu fui parar na rua dos Estudantes na Liberdade. Eu estava andando muito calma e tranqüilamente. A rua estava bem movimentada e, esbarrei em uma pessoa. Era um homem moreno, baixo, do tipo nordestino, uns 35 anos, com cara de quem pertence a classe C; em silêncio fiz várias mesuras a ele, me desculpando pelo esbarrão, sempre consciente de que era um sonho. Os detalhes eram incríveis, muito mas muito real mesmo e nítido. Eu estava usando um blaser preto estilo inglês e gravata. Andei mais um pouco e sai na Av. Paulista. Parei de fronte a uma árvore e fiquei olhando as suas folhas, como um sonhador lúcido tinha feito uma vez. Fiquei observando a semelhança com o nosso mundo, a consistência, detalhes, a vivacidade. Estou impressionado mas sem me excitar muito. Ando mais um pouco, bem calmamente e em passos lentos, chego perto de uma banca de jornal. Incrível a riqueza de detalhes. Primeiro o que me chama a atenção é um cartão postal em que está o meu irmão, como maestro de uma banda. Em seguida vejo outro cartão postal em que estou de terno preto entregando um trofeu para ele. Outro postal em que estou com uma roupa cheia de condecorações. Calmamente procuro a seção de revistas. O meu irmão aparece cómico como sempre. Ele está sem camisa. Olho para outra revista e leio claramente ela, os detalhes são incríveis. Resolvo fazer uma experiência: ler as manchetes dos jornais para ver se conseguiria ler alguma noticia do que poderia acontecer, um caso de premonição, mas não consegui ler, ficou tudo embaçado. Ouço uma música no ar, um coro do tipo de suspense. Vejo pessoas correndo e apareceram soldados do exército, que abriram fogo, bem real mesmo, só que eles metralharam sem apertar o gatilho. Eu brinco. "Eles estão usando telecinesia". Sabia que era uma falha do sonho. Mas sai correndo em direção oposta ao dos soldados que ficaram apenas em um limite, e não passam de lá. Um dos soldados disse: "É ruim passar por aqui", em tom muito agressivo. Com meus botões fiquei pensando no significado daquela dramatização. Continuo andando com o meu irmão e agora estamos em uma espécie de loja de objeto de artes. Quero prestar uma atenção especial nos objetos, coisas pequenas como xícara, porcelanas etc.. Quero prestar bastante atenção nos detalhes. Neste ponto sinto que o sonho acabou, não faço esforço para manter o estado de consciência no sonho. Acordo, isto é entro na vigília ativa."
Ponto Este é o sonho lúcido máximo ou sonhos lúcido do ponto 6, onde o sonhador lúcido sabe que está sonhando o tempo inteiro e controla o sonho plenamente. De uma forma ou de outra.
Características Este sonho lúcido está cheio de características de um sonho lúcido e temos outros fenômenos ligados aos sonhos lúcidos. Vamos analisar criteriosamente todos. essas características.
a) Ponto de incongruência: Quando saíram muitas canetas do meu bolso, canetas demais para estarem em um bolso, compreendi que era um sonho, é o ponto de incongruência ou estranheza e que nos permiti alcançar a lucidez nos sonhos.
b) Quarto dos sonhos: o sonho passou por uma fase em que eu estava na cama...Acabei caindo suavemente no chão em cima de umas cobertas o que me convenceu mais ainda do caráter onírico da experiência. O quarto que eu estava era o famoso quarto dos sonhos, mais uma fase dos sonhos.
c) autocontrole do corpo dos sonhos: apesar de estar maravilhado com a experiência, tive a intenção de não pensar muito nisso; decidi não interferir em nada, ser um observador passivo; de não me afobar, de não me excitar. Estava calmo e sereno. Eu estava andando calmamente e muito tranquilo, etc.
d) estava consciente de que era um sonho: intuitivamente e instantaneamente, compreendi que era um sonho; consciente de que era um sonho lúcido; sempre consciente de que era um sonho; sabia que era uma falha do sonho.
e) controle dos sonhos: andando calmamente e muito tranquilo; olhar os detalhes; ver os cartões postais; ler as revistas, tentar ler as manchetes do futuro, observar os detalhes das porcelanas.
d)outros fenómenos: entrarconsciente no estado de sonho; sair consciente do estado de sonho, mudança de cenário, tremenda realidade dos detalhes, seguir o enredo dos sonhos.
Típico. Este é um típico caso de sonho lúcido arrasa quarteirão, big sonho lúcido; ponto 6 ou sonho lúcido máximo, onde o sonhador está inteira e plenamente consciente de que é um sonho, vigília onírica. Este ponto 6 é o portal para o completo domínio dos sonhos, hão dá para se dizer o que se pode fazer com o sonho lúcido máximo. Imaginem uma pessoa tendo em média quatro sonhos desse por noite,r 7 dias por semana, quatro semanas por mês e 12 meses por ano.
Laberge. "Eu estava com um amigo, andando por uma trilha de montanha que subia gradualmente. Tanto quanto conseguia ver, a única coisa em movimento era a neblina silenciosa que ocultava os picos misteriosos. Mas de repente nos vimos diante de uma ponte estreita que atravessava precariamente um abismo. Quando baixei os olhos para aquele abismo sem fundo sob a ponte, fiquei tonto de medo e incapaz de continuar. Nisso, meu companheiro falou: ?'Sabe, Stephen, você 'não precisa' ir por esse caminho. Pode voltar por onde viemos" e apontoou para trás, para o que me pareceu uma distância enorme. Mas nesse momento passou pela minha cabeça o seguinte pensamento: se eu ficasse lúcido, não teria motivo para ter medo das alturas. Uns segundos de reflexão foram suficientes para eu perceber de que fato estava sonhando. Recuperei a confiança e consegui atravessar a ponte e acordar."
Controle .Neste relato é um sonho lúcido típico ou sonho lúcido máximo. Ao atravessar a ponte após vencer o medo, LaBerge usou o controle dos sonhos de forma plena. Ele poderia ter utilizado outros métodos, mas preferiu apenas atravessá-la andando!
Classificação. A minha classificação dos sonhos vai de l a 7. No sonho ponto l temos o sono sem sonho, ou sonho sem sonho, o sonho conjunto vazio. No ponto 2 temos o sonho filme, nos vemos na teceria pessoa. No ponto 3 temos o sonho-ator, interpretamos papeis no enredo só sonho, nos vemos na primeira pessoa do singular. No ponto 4, temos o sonho lúcido mínimo, no ponto 5, temos o sonho lúcido médio (. No ponto 6 temos o sonho lúcido máximo e, no ponto 7 temos o sonho lúcido sem sonho, um sonho especial em que se caracteriza pela completa ausência de qualquer coisa, mais ou menos como no interior de um buraco negro, mas que é o ponto principal de tudo.
Mesclagem. Além dessa classificação uma outra coisa que nos interessa é a mesclagem dos sonhos. Em um sonho podemos mudar instantaneamente de cenário e de posição do sonho de tal forma que temos um continuum do sonho. Traduzindo em miúdo, podemos sonhar com o Pato Donald conversando com a gente, mas somos outro e, entramos em vivenciar um papel, conseguimos alguma lucidez, ampliamos, mais, chegamos ao ponto 7 e vamos para outra seqüência.
Lúcidos. Falando em termos estritos de sonhos lúcidos, nós temos apenas o sonho lúcido mínimo ou peso pena, médio, peso médio e os sonhos lúcidos máximo ou peso pesado. Assim o sonho lúcido peso pena abrange os sonhos sem sonho, filme, ator e mínimo. O sonho lúcido máximo abrange o sonho lúcido máximo e o sonho lúcido sem sonho, que é um caso especial de sonho lúcido máximo. Com isso percebemos que todo mundo é sonhador lúcido mínimo, no mínimo.
Lucidez. Podemos perceber claramente que a lucidez aparece do quarto ponto em diante. O objetivo só sonhador lúcido é obter cada vez mais lucidez e uma maior controle dos sonhos. Podemos utilizar essa classificação para acompanhar o nosso desenvolvimento da lucidez de uma forma simples e elegante, como eu tenho aplicado. Basta saber se você tem mais sonhos lúcidos mínimo do que comum e, mais sonhos lúcidos médio e máximos que mínimo, Para os mais perfeccionistas pode-se usar o critério da numeração. Assim poderá ter sonhos 4,1; 4,2 e assim por diante.
Conteúdo. Em termos de classificação dos sonhos podemos ter quanto ao conteúdo: sonho: sexual, sonho simbólico, sonho paranormal, sonho transcendental, sonho de resolução de problema, sonho criativo, sonho inspiracional, sonho de voo, sonho compartilhado, sonho de cura, sonho complexo, sonho de prosperidade, etc. Para ter sonhos lúcidos basta acrescentar sonhos lúcidos assim temos o sonho lúcido simbólico mínimo, o sonho lúcido simbólico médio e o sonho lúcido simbólico máximo.
Falso. Sonho"Acordo. Levanto. Vou ao guarda roupa escolher a roupa que vou utilizar no dia de hoje. Depoisacordo de verdade. Foi um falso despertar."Falso despertar também conhecido como despertar enganoso é um do fenômenos dos sonhos lúcidos. O pior falso despertar é aquele em que você que anotar um sonho e depois descobre que estava sonhando! Mas tem um pior, em que você sai de um sonho lúcido e se acha no seu quarto de dormir pensado que acordou de um sonho lúcido, mas apenas está em um falso despertar. Há também falsos despertares sucessivos. Certa vez, passei por quatro falsos despertares até acordar realmente.
Pré-Sonho. Ao lado desse fenômeno nós temos o pré-sonho lúcido que é pior ainda, pois você desconfia que é um sonho, mas na hora H se deixa levar pelo sonho. Lembro-me que uma vez em um sonho, estava num ônibus e testei se era um sonho, e cheguei a conclusão falsa de que não estava sonhando.
Imagens. Ligado aos sonhos nós temos as imagens hipnogógicas e hipnopômpicas. As primeiras se referem aquelas imagens que aparecem quando começamos a entrar no sono. Essas imagens são ótimas para conseguirmos sonhos lúcidos. Quando perguntei aos sonhos o que deveria fazer para melhorar os meus sonhos lúcidos parte da resposta foi aumentar minha dedicação às imagens hipnagógicas.
Stack. Rick Stack desvreve o seguinte sonho lúcido. "Vi-me sentado a uma mesa numa sala que não reconheci. Na mesa havia muitas pessoas, inclusive eu próprio. Eu estava completamente acordado e sabia estar fora do meu corpo físico. Estava fascinado por ver como tudo parecia totalmente real. Essa sala era percebida como tão real quanto qualquer outra onde eu estivesse até hoje estado. Eu era eu mesmo e sabia que era eu mesmo; e, no entanto, eu era algo mais, de um certo modo. Senti-me como se estivesse fundido com outro e mais vasto aspecto só meu eu. Comecei discutindo com as pessoas da mesa sobre a parcela de mim mesmo que habitava na realidade física normal. A discussão gravitou em torno do comportamento e características do meu eu físico. O eu com que me fundira nesse estado parecia ter acesso a uma perspectiva mais esclarecida e sagaz do que aquele que eu normalmente possuía. Parecia saber uma grande quantidade de coisas que eu ignorava; mas agora, que estávamos juntos, algum de seus conhecimentos pareciam-me acessíveis. Eu não estava separado desse eu. Esse eu era eu. Era deveras estranho estar sentado a uma mesa não física que eu sentia ser tão física quanto qualquer outra na Terra e ouvir me descrevendo e analisando calmamente o meu eu físico normal com um nível de discernimento que parecia exceder facilmente aquele que eu estava habituado."
otavio aquino

16 comentários:

jholland disse...

Uau !!
Belo texto.
Fechou com chave de ouro.
Tb tenho me dedicado às imagens hipnagógicas, coincide com sua informação. Curiosamente, tinha planejado fazer a mesma pergunta no próximo sonho lúcido: "O que fazer para melhorar os sonhos lúcidos e aumentar sua frequencia ?"

Rubem disse...

Sonho Videogame - Rubens

Resolvi voltar a tentar ter sonhos lúcidos, por vontade própria.

No princípio da noite memo tendo prestado atenção as minhas mãos, só sonhos confusos, nebulosos, cinzas. Acordava e não conseguia lembrar de nenhum. Lá pelas 4 da manhã acordei fui a o banheiro e voltei a cama prestando atenção as mãos. Tive dificuldade para voltar a dormir em decubito e virei de lado. Quando dormi meus sonhos ficaram bem mais claros. comecei tendo sonhos eroticos. Primeiro com mulheres da net e depois com minha mulher (so que + velha).

Depois veio o sonho videogame: Estou num shpping de braço dado com minha esposa (acho). Um playboy com a namorada está impedindo a passagem e temos que contorná-los. Fico com raiva de tanta gente que está no shop e não dá pra andar direito. A situação me aborrece e me ligo que estou sonhando. Beleza então: parto pra cima de uma menina morena e colo minha cara na dela, rosnando, meio de brincadeira, meio desafiando. as pessoas se revoltam. A consciência tenta adormecer de novo, mas olhos minhas mão pra reforçar que estou sonhando. Tento sumir com as pessoas apontando o dedo, mas não dá e eles vem pra cima de mim. Faço minhas mãos crescerem e depois faço com que eu inteiro cresça. Fico gigante e vejo aas pessoas de grande altura. vou andando atrás delas. Elas tentam fugir mas piso nelas com meus grandes pés de metal! (robô gigante?) e as que são pisoteadas somem ou somem antes mesmo de serem pisoteadas. Logo procuro por todos os lados mas não acho mais ninguém. volto ao meu tamanho natural e atrás de uma pilastra, vejo um homem tentando se esconder. Vou atrás e logo vejo um grupo de pessoas (6+-) . Tento bater nelas (pra quê?!). Mas não consigo. Viro um lobisomem vermelho-laranja, ou ele sai de mim pra atacar as pessoas, mas cada vez surgem mais pessoas (penso: eles são muitos, são fortes, etc) e eles fazem um circulo a minha volta me olhando feio. Eu digo: - Então fala... (conclusão: busquei me ligar que estou sonhando - consegui - passei a querer dominar os elementos do sonho - desrespeitosamente. No final busquei informação com aquele que - parece - o mesmo grupo de sempre. Provavelmente uma ilusão minha. Devia ter sido mais pacífico e buscado itens no sonho que pudesse segurar e me segurar.)

jholland disse...

Tendo obtido o domínio do/no sonho, vc poderá resolver todos os seus problemas. Inicialmente, o sonhador se deparará com questões emocionais, como ocorreu na sua experiência. Ao ficar grande e se transformar para vencer os desafios que sua mente te colocou, vc exercitou a flexibilidade mental, o que é muito importante. Geralmente, todos os personagens e cenários do sonho são parte de vc mesmo. Por isso, minha sugestão é de que, na próxima vez, tente "ir mais longe", conciliando-se com seus inimigos oníricos. Ou seja, ao invés de ficar escravo da lógica "fugir ou vencer", seria muito importante vc absorver o "inimigo" (que na verdade é parte de vc mesmo). Bons sonhos !

jholland disse...

Para ficar mais claro o que escrevi acima, transcrevo abaixo um pequeno trecho do livro "Sonhos Lúcidos" - de Steve LaBerge. Nesse trecho, o próprio autoro descreve como lidou com um desafio onírico semelhante. Note-se que esse tipo de atitude positiva - que culmina com a conciliação psíquica e superação de problemas emocionais -é também recomendada por muitas tradições antigas como o primeiro e mais básico passo:

"Sonhei que estava no meio de uma briga na sala de aulas; uma multidão furiosa vociferava, atirando cadeiras e trocando socos. Um bárbaro enorme e repugnante, de rosto marcado pela varíola, o Golias entre eles, estava me segurando com mão de ferro e não me deixava escapar, por mais desesperadamente que eu tentasse. Nesse ponto percebi que estava sonhando e, lembrando-me do que havia aprendido por ter lidado anteriormente com situações análogas, imediatamente parei de lutar. Logo que percebi que a luta era um sonho, fiquei sabendo que o conflito, causado por uma questão de princípios, era comigo mesmo. Estava claro que aquele bárbaro repulsivo era a personificação de alguma coisa que eu queria negar e da qual queria me ver separado. Talvez fosse apenas a representação de alguém ou de alguma propriedade de outra pessoa, que eu não apreciava. Mas como, seja lá o que fosse, aquela coisa estava me sensibilizando íntima e profundamente o suficiente para que eu tivesse aquele sonho, fiquei sabendo que o caminho da harmonia interior estava em aceitar como parte de mim mesmo qualquer coisa que pudesse encontrar em mim (até aquele bárbaro odiento). Invariavelmente, agir dessa forma resolvia os meus conflitos do sonho e me levava para mais perto da minha meta de auto-integração. Minha experiência havia me mostrado que, pelo menos no mundo dos sonhos, o melhor meio, talvez o meio mais eficiente de acabar com o ódio e as brigas, era amar os meus inimigos , como a mim mesmo.

Naquele sonho em particular, quando atingi a lucidez e parei de lutar (comigo mesmo, supus), tinha certeza absoluta do que era mais apropriado fazer. Sabia que somente o amor poderia resolver de fato o meu conflito interior e, quando fiquei cara a cara com o meu ogre, procurei sentir amor. No começo não consegui nada, sentindo apenas repulsa e aversão por ele. Era simplesmente feio demais para ser amado: foi essa a minha reação visceral. Mas procurei deixar a imagem dele de lado e procurar amor dentro do meu próprio coração. Quando encontrei esse amor, olhei o meu ogre bem nos olhos, confiando que a minha intuição me forneceria as coisas certas para dizer. De mim fluíram belas palavras de aceitação e, à medida que fluíam, o ogre ia se fundindo em mim. Quanto à briga, havia desaparecido sem deixar vestígios. O sonho acabou e acordei sentindo-me maravilhosamente calmo."

Rubem disse...

Sim, acho que é por aí mesmo. Há algumas correntes de sonhadores lúcidos que acham que essas figuras estranhas que povoam os sonhos lúcidos são entidades que vivem em outras dimensões. Sejam entidades estra-dimensionais ou entidades criadas por minha própria mente, de faato elas existem e, como você disse, o melhor seria tentar fazer as pazes com elas.
P.S: não sera melhor os comentários aparecerem logo abaixo dos posts?
Estou começando um blog também. è sobre espiritualidade, Cristo, gnosticismo, holística.. É esse:
Caminho da Luz

jholland disse...

Sonhos especiais - sonhos premonitórios, telepáticos, compartilhados ou contatos com outras dimensões - não devem ser descartados. Entretanto, costumam ser mais frequentes entre sonhadores que praticam alguma forma de integração psíquica profunda, por exemplo, praticantes de meditação etc. Isso não quer dizer, em absoluto, que voce não tenha esse tipo de sonhos. Normalmente, esses sonhos especiais vêm acompanhados de outros sinais - em sonhos ou na vigília - como por exemplo, uma intuição mais aguçada e, sobretudo, uma percepção de si próprio como estando no caminho de uma integração íntima, aquilo que usualmente se conhece pelo nome de "espiritualidade": normalmente esse estágio se encontra após o sonhador-meditador começar a resolver seus problemas emocionais e superar seus apegos e barreiras auto-impostas (pela mente). Por outro lado, tais sonhos especiais não costumam vir isolados, razão pela qual o sonhador-meditador aprende a reconhecê-los com o tempo. Com frequência, esse processo de "auto-liberação" é lento e envolve outras mudanças na vida do sonhador-meditador, processo durante o qual, é claro, convive-se com sonhos mundano-ordinários em que "pseudo-seres" de várias espécies aparecem, sendo, na verdade, apenas a projeção e resquícios de recalques-kármicos do sonhador. A esse propósito, sugiro a leitura da postagem "Maturidade Onirica", de autoria do Otávio Aquino, postada neste mesmo Blog.
Para mim, os sonhos são como uma espécie de "cortina" que separa um aposento de uma área externa, mais ventilada. Estamos nesse aposento fechado e, ao sonharmos, observamos a cortina. Por vezes, com o vento que vem de fora, a cortina balança: ou seja, os sonhos refletem a dinâmica do que vem de fora, porém o que normalmente vemos é a cortina, um pálido reflexo distorcido dessas manifestações.
Obrigado por sua participação e sugestão. Seja bem-vindo e continue colaborando conosco, inclusive postando seus sonhos lúcidos !

marco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marco disse...

Marcos
Também gostei do comentario sobre sonhos lucidos, muito bom mesmo!!
Também gostaria de iniciar minhas viagem a esse mundo maravilhoso.
como eu faço isso??
Marcos

jholland disse...

Marco

Obrigado por mostrar interesse e participar do Blog, você é muito bem-vindo !

Conquistar a lucidez onírica e iniciar essa aventura está a alcance de todos, não há pré-requisitos. Exige apenas vontade e alguma persistências nas práticas.

O mais importante você já demonstrou: a vontade. Quanto mais firme e aguçado for o propósito de se obter a lucidez nos sonhos, mais rapida e intensamente virá sua lucidez. A seriedade é que conta.

Há muitas técnicas, textos e livros que tratam do assunto - não entrarei aqui em detalhes, pois no Blog você poderá encontrar farto material introdutório, além de muitas discussões (nos comentários), além de postagens sobre o tema.

Sugiro a princípio que você adquira um pequeno livro bem introdutório porém muito útil de S.LaBerge, chamado "Sonhos Lúcidos", disponível gratuitamente em EBook pela Internet. (caso se interesse, mande-me seu EMail que lhe envio o arquivo do livro digitalizado).

Recomendo também que voce comece a dar maior importância a seus sonhos e, se possível, mantenha um diário de sonhos. Se não puder ou não quiser anotar, tente ao menos recordar os sonhos - no maior número possível e o mais detalhadamente que conseguir - após acordar.

Isso por si só fará você ter sonhos mais realistas e aumentará o nível de consciência onírica.

Outra dica introdutória é tentar manter a consciência desde o momento em você vai para a cama até a entrada em sonho, ou seja, tente manter a consciência nos estados intermediários entre sono e vigília, o máximo que puder, simplesmente observando os movimentos da mente, dos pensamentos e imagens que surgem. Essa prática simples - porém não tão fácil - é muito poderosa.

Sinta-se à vontade para perguntar ou aprofundar qualquer outro ponto.

Bons sonhos !

marco disse...

Marco
Olá Jholland!! agradeço pela resposta me ajudou muito e, eu vou com certeza seguir as dicas, já vou comprar um caderninho só para anotar o meus sonhos.Há!! eu vou querer sim o E- book do S.LaBerge sobre sonhos lucidos.
Um abrç
Marco

jholland disse...

Me passe seu endereço de EMail particular para que eu possa te mandar o arquivo.

Abs !

marco disse...

Marco.
Sim!!! meu endereço.
marquinhodsva@yahoo.com.br

Allan disse...

allan
nao domino a arte de sonhar lucido mais uma vez sonho que eu estava no auto de um predio e notei que aquilo era um sonho;dai me atirei pela janela e acordei.

tiasgão disse...

sonhei lucidamente involuntariamente 2 vezes no mesmo sonho,segui-se desse modo: estava em um "pico de festa" onde aparecia algumas pessoas se divertindo, gente que não conheço falava comigo como se fosse amigo íntimo, depois aparecia amigos conhecidos,entao me dava conta que estava sonhando e saía voluntariamente do sonho meio que perturbardo,daí resolvia voltar ao mesmo sonho e então voltava bem consciente e começava a falar aos conhecidos que aquilo era um sonho e que eu estava em uma cama dormindo, daí eles riam de mim , e eu insistia enquanto aparecia mais pessoas, daí eu percebia que havia algo de errado em mim, eu não conseguia falar direito eu estava deficiente mental, e todos ja sabiam, e então eu insistia em querer que eles me falassem o que tinha acontecido comigo, e uma pessoa conhecida minha, me fala que eu tinha virado um deficiente mental, e eu perguntava mas como assim? que dia é hoje, e respondia, hj é 2 de maio , eu novamente de 2010???? ele respondia que sim, eu me olhava no espelho de um carro e me olhava com o rosto deficiente mesmo!!!!daí eu me desesperava queria sair do sonho , o mesmo parecia querer me prender , tive dificuldade para saiir dele e então aliviadamente voltei da festa a minha cama,ufa! sinistro hein!! me falaí......

Sandro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.