segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A terra das duas Luas



Olá a todos,
Mais uma vez vou deixar-vos com um relato de um sonho lúcido, bastante diferente do anterior.
Ontem à noite tive uma conversa com o meu irmão sobre estados alterados de consciência, hipnoze, sonhos lúcidos, etc, o que prédispos-me para as aventuras oniricas. Ao contrário do que é comum, detive-me mais de uma hora no estado hipnogágico mas sobre isso talvez escreva outro post, já que encontrei muitas semelhanças com alguns estados intermédios de outras aventuras.
O sonho lúcido ocorreu na noite de ontem para hoje, por volta das 9:30 da manhã, estando a dormir há cerca de 7 horas. Começou como um sonho normal. Ia a casa de um colega chamá-lo quando reparei que estava num momento do dia particularmente belo: o Sol estava a por-se e a Lua Cheia a aparecer. Detive-me a ver este momento. Apesar de ainda ter de estar dia, a verdade é que já era noite profunda, mas esse pormenor não me chamou a atenção. Quando o Sol pôs-se, surgiram multiplos arco-iris, que cobriram todo o céu. Como nunca tinha visto mais do que um duplo arco-iris, pensei tratar-se de uma ilusão óptica e, ao fechar e abrir novamente os olhos, o cenário mudou drasticamente: os arco-iris desapareceram e o céu voltou a ficar azul, com "carreiras" de nuvens nos locais onde existiam os arco-iris. Esta mudança drastica do cenário também não foi o suficiente para "despertar".



Nisto começo novamente a dirigir-me para a casa do meu colega, quando todo o cenário voltou a escurecer e apareceu uma segunda Lua. Olhei para trás e confirmei que o Sol já tinha desaparecido, estando as duas Luas uma ao lado da outra. Achei estranho e quando observei melhor a segunda Lua, vi que tinha uma cara desenhada! Pensei: "Isto tem de ser um sonho!" (nota: não tinha a certeza. deduzi que fosse um sonho). Sendo assim, dei um salto. O salto levou-me bem mais alto do que o normal e logo aproveitei (fazendo esforço mental) para voar. Quando comecei a voar dei por mim a gritar de entusiasmo e decidi explorar de perto daquela segunda Lua.
Ao entrar no Hiper-Espaço senti como se tivesse rompido uma membrana. Instalou-se um silêncio total e fiquei com falta de ar. Depois pensei que se estava a sonhar, não precisava de respirar. Observei a Lua com maior detalhe, já no Hiper-Espaço. Embora já não sentisse necessidade de respirar, sabia que não estava a fazê-lo.
Por fim, seguiu-se o habitual desejo de ir para o Egipto. Lembro-me perfeitamente de pensar: "se isto é um sonho, consigo ir para o Egipto". Neste instante comecei a sobrevoar as piramides mas rapidamente voltei ao sono normal. Embora me recorde perfeitamente do sonho que tive a seguir, já não foi lúcido.



Cumprimentos,
Richard

4 comentários:

H .Vilela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
H .Vilela disse...

Muito legal! Cada sonho que é postado aqui fico mais animado de conseguir a lucidez... infelimente etes últimos dias não estou nem ao menos conseguindo lembrar dos sonhos... Mas com paciência chegarei lá

##Éric@## disse...

Bacana!! tambem quero poder ter essa lucidez maravilhosa!! sabe esses dias atras eu tava pegando no sono mas toda hora acordava dando "solavancos", cheguei a acordar com os pes a saltar!!!rsrs sera que tem algo haver com a projecao astral?

jholland disse...

Olá Eric@,

Obrigado por acessar e colaborar com o Blog !

Essa questão é controversa.

Segundo uma dos autores "clássicos" da projeção astral (Sylvan Muldoon), a resposta é afirmativa: aqueles solavancos e pequenos sustos que tomamos por vezes no instante em que caímos no sono diriam respeito exatamente ao momento em que o "corpo astral" estaria se descolando do físico e, ao nos apercebermos disso, tomamos um susto e fazemos com que ele volte imediata e abruptamente.

Obrigado !